Home / Archives /

Reviews de Filmes

Reviews de Filmes / 34 posts encontrados

Dois Dias, Uma Noite: o que seria capaz de fazer para manter o seu emprego?

by Eduardo Aranha
O filme Dois Dias, Uma Noite acompanha a história de Sandra, que reside numa área industrial nas proximidades de Liège, na Bélgica. Sandra - interpretada por Marion Cotillard - é uma jovem esposa e mãe, com um emprego numa pequena fábrica de painéis solares, que tem um colapso nervoso devido às suas rotinas diárias e perde o seu emprego. Para o recuperar, terá de se confrontar com um dilema moral.

A utilização da cor no filme Vermelho de Krzysztof Kieślowski

by Marta Reis
TRÊS CORES: VERMELHO, realizado por Krzysztof Kieślowski, faz parte de uma série de três filme inspirada no bicentenário da Revolução Francesa, onde o emprego da cor é primordial para a compreensão da mensagem. Foi também o último filme realizado pelo realizador polaco. Ao completar a trilogia, com 52 anos, anunciou a sua reforma e faleceu dois anos mais tarde na sua terra natal. Poderá dizer-se que esta tríade é a súmula da sua carreira.

Os Divinos Segredos da Irmandade YaYa: uma comédia clássica

by Goreti Teixeira
À primeira leitura, o título deste filme poderá transportar-nos para uma realidade mística, de rituais e evocação de espíritos, de bruxarias e demais feitiços. O ritual existe, mas a história é outra e desenvolve-se a partir da relação de uma dramática e excêntrica mãe com a filha mais velha, que não consegue ultrapassar o passado penoso da sua infância.

The Crown: a série da Netflix que tenta humanizar a família real

by Eduardo Aranha
The Crown (A Coroa), a muito antecipada série da Netflix, estreou no passado dia 4 de novembro para a sua primeira temporada. Tendo como protagonista a Rainha Isabel II do Reino Unido (interpretada pela brilhante Claire Foyle) a série relata-nos, ao longo dos primeiros 10 episódios, a ascensão da jovem princesa ao trono depois da morte do pai. Eis a opinião do Eduardo sobre a primeira temporada.

Citizen Kane, o filme que consagrou o realizador Orson Welles

by Marta Reis
Orson Welles foi simultaneamente autor, ator e realizador de Citizen Kane (O Mundo a Seus Pés), estreado em 1941. O sucesso do filme foi tal que não tardou a valer a Orson Welles o Óscar de melhor argumento pela Academia Norte-Americana. Neste post a Marta faz uma análise crítica ao filme, salientando alguns dos seus momentos principais.

A questão da Identidade no filme Adão e Eva – 2ª Parte

by Marta Reis
Neste segundo artigo dedicado ao filme Adão e Eva faço uma análise breve à influência cristã e à questão da pós-modernidade nesta obra de Joaquim Leitão, que foi um dos maiores sucessos de bilheteira em Portugal.

Room e 10 Cloverfield Lane desafiam o Cinema Previsível

by Tiago Cruz
Neste post o Tiago Cruz fala de um problema a que dá o nome de cinema previsível e que aflige todos os cinéfilos: o dos filmes se tornarem previsíveis. Mas mais: Tiago explica como filmes recentes como Room (2015) e 10 Cloverfield Lane (2016) podem começar uma nova tendência de filmes com enredos mais imprevisíveis, e assim mais excitantes, para os espectadores.

A questão da Identidade no filme Adão e Eva – 1ª Parte

by Marta Reis
O filme “Adão e Eva”, de 1995, com argumento e realização de Joaquim Leitão, retrata um quadrado amoroso em que todos: o galã latino, a mulher mais velha e o estrangeiro; estão loucamente apaixonados por Catarina, uma prestigiada jornalista, com trinta anos de idade que decide ter um bebé sozinha, protagonizada por Maria de Medeiros.

A utilização da cor no filme Azul de Krzysztof Kieslowski

by Marta Reis
Como forma de prestar a minha homenagem ao realizador Krzysztof Kieslowski este será o primeiro artigo de três sobre a trilogia Trois couleurs. Por isso, mantendo um seguimento lógico, neste artigo irei fazer uma reflexão sobre o primeiro filme da trilogia, realizado em 1993, e alusivo à cor Azul.