Home / Archives /

Reviews de Filmes

Reviews de Filmes / 41 posts encontrados

A Greve: Engajamento e Arte de Sergei Eisenstein

É certo que A Greve é realizado a partir da realidade nacional soviética de então, no sentido de mostrar a seus operários a exploração e a violência capitalistas, reforçando, assim, o regime. Constitui, pois, nesse sentido, obra engajada. Todavia, esse primeiro filme de Sergei Eisenstein já é obra do gênio, que, de filme a filme, só faz consolidar-se e aprimorar-se.

Mocinho Encrenqueiro: a Realidade e Comicidade de Jerry Lewis

by Guido Bilharinho
A comicidade de Jerry Lewis (1926-2017), ator e cineasta, advém da conjunção de dois fatores, que compõem distintos níveis estruturais de seus filmes: a subversão da normalidade e a sua performance como ator. O filme Mocinho Encrenqueiro (cujo nome original é The Errand Boy, EE.UU., 1961), que Jerry Lewis dirige e no qual atua, enquadra-se na fórmula que decorre de criação própria que, por sua vez, atende e corresponde à sua faculdade de estar e se posicionar no mundo, categoria superior à simples representação ou ao modo peculiar de ser e agir.

A Rapariga Desconhecida: o que acontece quando não respondemos à campainha

by Eduardo Aranha
O filme La fille inconnue conta-nos a história da Dra. Jenny Davin, uma médica de família numa área urbana nas proximidades de Liège que, numa noite, decide não abrir a porta quando uma mulher toca à campainha depois do encerramento da clínica. Na manhã seguinte, descobre que a mulher que tinha tocado à campainha foi encontrada morta num local de obras junto ao rio. Saiba mais sobre este filme.

Lanterna Verde: a Luta da Vontade contra o Medo

O filme Lanterna Verde (2011) não é consensual. Esta produção custou 200 milhões de dólares e retornou apenas 219 milhões de dólares, foi indicado a 7 prêmios dos quais ganhou 2. Mas também foi considerado pela crítica o pior filme do ano. O Ricardo Roveran fez agora a sua Review para todos os leitores do Blog Mundo de Cinema. Confira o post!

O Otário: Relembrando Jerry Lewis como Peixe n’Água

by Guido Bilharinho
Jerry Lewis (1926-2017) é considerado por parte da crítica um gênio da comédia. Não chega a tanto, mas, não resta dúvida, que é um dos grandes atores (e autores) cômicos do cinema, podendo comparar-se a Charlie Chaplin. Neste artigo, Guido Bilharinho relembra este nome marcante do cinema através da análise do filme O Otário.

Você já viu The NeverEnding Story – A História Sem Fim?

The NeverEnding Story (A História Sem Fim) é um filme de 1984 baseado no romance homônimo alemão de Michael Ende com uma história didática, que na época foi uma das produções mais caras, com investimento de 27 milhões de dólares e faturou 100 milhões (sim, um sucesso de bilheteria que multiplicou quatro vezes o investimento) e ainda ganhou 4 premiações.

Análise Psicanalítica do filme Quando Fala o Coração de Alfred Hitchcock

by Guido Bilharinho
Na sua estreia no blog Mundo de Cinema, Guido Bilharinho, especialista em filmes de Alfred Hitchcock, relembra hoje o filme Quando Fala o Coração, uma película onde o Amor está em destaque. Se em seus mais importantes filmes o tema não é propriamente o objeto da ação, não passando esta de veículo ou de ilustração para assunto mais importante, atinente à condição humana, em Quando Fala o Coração a proposição é a própria estória. Confira a análise agora!

Dois Dias, Uma Noite: o que seria capaz de fazer para manter o seu emprego?

by Eduardo Aranha
O filme Dois Dias, Uma Noite acompanha a história de Sandra, que reside numa área industrial nas proximidades de Liège, na Bélgica. Sandra - interpretada por Marion Cotillard - é uma jovem esposa e mãe, com um emprego numa pequena fábrica de painéis solares, que tem um colapso nervoso devido às suas rotinas diárias e perde o seu emprego. Para o recuperar, terá de se confrontar com um dilema moral.

A utilização da cor no filme Vermelho de Krzysztof Kieślowski

by Marta Reis
TRÊS CORES: VERMELHO, realizado por Krzysztof Kieślowski, faz parte de uma série de três filme inspirada no bicentenário da Revolução Francesa, onde o emprego da cor é primordial para a compreensão da mensagem. Foi também o último filme realizado pelo realizador polaco. Ao completar a trilogia, com 52 anos, anunciou a sua reforma e faleceu dois anos mais tarde na sua terra natal. Poderá dizer-se que esta tríade é a súmula da sua carreira.