Home / Archives /

Reviews de Filmes

Reviews de Filmes / 31 posts encontrados

Donnie Darko

Donnie Darko: o paradoxo de uma história que nunca aconteceu

by Eduardo Aranha
O filme Donnie Darko, lançado em 2001, aborda temas como universos paralelos, viagens no tempo e ciência quântica. Ao seguirmos a estranha história de Donnie Darko, um jovem depressivo e esquizofrénico, somos encaminhados pouco a pouco para um final que nos deixa a desesperar por entendimento.

Still Alice: de que é feita a identidade, senão de memórias?

by Tiago Leão
Em Still Alice encontramos Alice Howland, uma professora universitária de 50 anos, profissionalmente realizada e com uma família feliz. Tudo parece estar bem quando começa a aperceber-se de que ultimamente é frequente esquecer-se de nomes, datas e palavras. Coisas pequenas que a certo ponto fazem com que vá ao médico. É então que lhe é diagnosticada a doença de Alzheimer.

Submarine: uma comédia com a quantidade certa de drama (ou vice-versa)

by Tiago Leão
Oliver Tate tem 15 anos e dois objetivos a curto-prazo: perder a virgindade até ao próximo aniversário, e acabar com o romance da mãe. As premissas podem até parecer simples, mas é sobretudo à volta delas que se desenrola Submarine, um filme de 2010 que junta a quantidade certa de drama e romance a uma comédia intemporal sobre a adolescência.
anna karenina

Anna Karenina: um teatro em versão cinematográfica

by Eduardo Aranha
Um retrato da aristocracia russa no fim do século XIX, Anna Karenina mostra-nos o intenso romance adúltero de Anna, uma mulher presa a um casamento infeliz, casada com uma das figuras mais importantes da Rússia Czarista. Quando conhece o Conde Vronsky, ambos são arrebatados por um romance épico que não é bem visto aos olhos da sociedade.

127 Horas: uma história real de enorme valor humano

by Tiago Leão
Lançado em 2010, 127 Horas parte de uma história verídica para se transformar numa obra de enorme valor humano. O filme retrata limites numa narrativa inovadora, onde alucinações se tornam tão verdadeiras como memórias. No centro do enredo encontramos James Franco, ator que incorpora Aron Ralston, um homem que esteve preso entre a pedra e a parede, durante 127 horas, num desfiladeiro do Utah.

La Vie en Rose: a vida nem sempre cor-de-rosa de Édith Piaf

by Tiago Leão
La Vie en Rose, de 2007, foi o filme que penetrou na capa de Édith Piaf, deixando a descoberto a mulher por detrás da voz, símbolo de uma nação. Numa interpretação soberba, Marion Cotillard vestiu-se de corpo e alma para o papel de uma vida, que ficará para sempre na história do cinema. Não tivesse sido esta, aliás, a prestação que lhe valeu o seu primeiro e até agora único Óscar.

Timecode: como fazer cinema de maneira diferente

by Marta Reis
O filme Timecode de Mike Figgis é um achado. Este é um filme acerca da pré-produção de um filme, tendo por base os romances que acontecem entre os envolvidos no meio. No fim é pronunciado o objectivo primordial: a necessidade de inovar no cinema, explorar e encontrar novos caminhos, quebrando barreiras na edição.

Into the Wild: uma viagem ao lado selvagem de nós próprios

by Tiago Leão
Into the Wild (O Lado Selvagem, na versão portuguesa) é um filme de 2007 que transpõe para o ecrã a história de Christopher McCandless – vulgo Alex Supertramp. A obra cinematográfica resulta da adaptação de um livro de não-ficção, escrito por Jon Krakuer, jornalista, escritor e alpinista, que, em 1996, se dedicou a descrever a viagem de Alexander ao Alasca e ao interior de si mesmo.

Pulp Fiction: o êxito da cultura pop que ainda continua fresco

by Tiago Leão
“Pulp (polpa, pasta): 1. Uma mistura ou massa macia, húmida, sem forma. 2. Uma revista ou livro de literatura tétrica, impresso propositadamente em papel rugoso e inacabado”. A definição é do American Heritage Dictionary e é com ela que começa Pulp Fiction, um filme de Quentin Tarantino que está tão bem no grande ecrã como estaria num sonho ou numa revista do estilo noir do início do século XX.