Home / Festivais de Cinema /

Conheça os filmes premiados do IndieLisboa 2017

indielisboa 2017

Conheça os filmes premiados do IndieLisboa 2017

O IndieLisboa é um local privilegiado para a descoberta de novos autores e tendências do cinema mundial e integra uma competição de longas e curtas metragens de novos realizadores. Mantendo o seu foco na criatividade e independência dos autores, o IndieLisboa é reconhecido como um dos mais importantes festivais de cinema em Portugal.

A 14ª edição do IndieLisboa teve lugar de 3 a 14 de Maio de 2017. O realizador boliviano Kiro Russo volta a ser premiado neste festival com VIEJO CALAVERA, que vence o Grande Prémio de Longa Metragem Cidade de Lisboa.

O júri da competição internacional galardoou ainda ARÁBIA, de Affonso Uchôa e João Dumans, com o Prémio Especial do Júri Canais TVCine & Séries. O Prémio Allianz – Ingreme para Melhor Longa Metragem Portuguesa foi entregue a ENCONTRO SILENCIOSO, de Miguel Clara Vasconcelos e o Prémio Ingreme para Melhor Curta Metragem Portuguesa foi atribuído a MIRAGEM MEUS PUTOS, de Diogo Baldaia. O Grande Prémio de Curta Metragem foi entregue a WIEZI/CLOSE TIES, de Zofia Kowalewska.

Conheça o Palmarés completo da 14ª edição do IndieLisboa

O Júri da Competição Internacional composto por: Giona A. Nazzaro, Manuel Mozos e Paz Lázaro decidiu entregar o Grande Prémio de Longa Metragem Cidade de Lisboa ao filme VIEJO CALAVERA, de Kiro Russo por este ser: “Uma obra de rigor e genialidade deslumbrantes. Um retrato bem-sucedido de perda e angústia, entre as contradições e transformações da indústria mineira boliviana. Um filme sobre a dignidade e a resiliência do trabalho e a beleza do cinema. Viejo Calavera é a revelação de Kiro Russo, um grande talento que começa a surpreender-nos com sua visão única e o seu olhar poderoso.”

O Prémio Especial do Júri Canais TVCine & Séries foi entregue a ARÁBIA, de Affonso Uchôa e João Dumans (Brasil).

O Júri da Competição Internacional de Curtas Metragens composto por: Filipe Abranches, Katja Pratschke e Richard Raskin atribuiu o Grande Prémio de Curta Metragem ao filme WIEZI/CLOSE TIES, de Zofia Kowalewska (Polónia).

O Prémio de Melhor Animação – Curta Metragem, patrocinado pelo Turismo de Macau, foi entregue a: 489 YEARS, de Hayoun Kwon (França).

O Prémio de Melhor Documentário – Curta Metragem, patrocinado pelo Turismo de Macau, foi entregue a: THE HOLLOW COIN, de Frank Heath (EUA).

O Prémio de Melhor Ficção – Curta Metragem, patrocinado pelo Turismo de Macau, foi entregue a: LE FILM DE L’ÉTÉ, de Emmanuel Marre (França, Bélgica)

O Júri da Competição Nacional, composto por: Antoine Barraud, Maike Mia Höhne e Paulo Bertolín atribuiu o Prémio Allianz – Ingreme para Melhor Longa Metragem Portuguesa ao filme: ENCONTRO SILENCIOSO, de Miguel Clara Vasconcelos (Portugal).

O Prémio Ingreme para Melhor Curta Metragem Portuguesa foi entregue a: MIRAGEM MEUS PUTOS, de Diogo Baldaia (Portugal).

O Prémio Novo Talento FCSH/Nova – Curta Metragem foi entregue a: FLORES, Jorge Jácome (Portugal).

O Prémio Walla Collective para Melhor Filme da Secção Novíssimos foi entregue a: OS CORPOS QUE PENSAM, de Catherine Boutaud (França, Portugal)

O Júri IndieMusic, composto por: Joana Sá, Mário Valente e Tó Trips atribuiu o Prémio Indiemusic Schweppes a: TONY CONRAD: COMPLETELY IN THE PRESENT, de Tyler Hubby (EUA, Reino Unido).

O Júri Árvore da Vida composto por: Inês Gil, Margarida Avillez Ataíde e Paulo Pires Alves atribuiu o Prémio Árvore da Vida Ex-aequo a: ANTÃO, O INVISÍVEL, de Maya Kosa e Sérgio da Costa (Suíça, Portugal) e NUM GLOBO DE NEVE, de André Gil Mata (Portugal).

O Júri Amnistia Internacional composto por: Fernanda Câncio, Filipa Santos e Joana Gorjão Henriques atribuiu o Prémio Amnistia Internacional a: FIND FIX FINISH, Mila Zhluktenko, Sylvain Cruiziat (Alemanha).

O Júri Universidades composto por: Leonor Sousa, Rafael Afonso e Teresa Vieira atribuiu o Prémio Universidades a: EL MAR LA MAR, de Joshua Bonnetta e J.P. Sniadecki (EUA).

O Júri Escolas composto por: Débora Mogueiro, Inês Proença e Teresa Oliveira atribuiu o Prémio Escolas a: LE FOL ESPOIR/WILD HOPE, Audrey Bauduin (França).

O Júri do Público atribuiu o Prémio do Público Longa Metragem a: VENUS, Lea Glob, Mette Carla Albrechtsen (Dinamarca, Noruega); o Prémio do Público Curta Metragem Crocs a: SCRIS/NESCRIS, Adrian Silisteanu (Roménia); o Prémio do Público IndieJúnior Escolas DoctorGummy a: BICHINHOS DO LIXO/LITTERBUGS, Peter Staney-Ward (Reino Unido); o Prémio do Público IndieJunior Famílias Trina a: O TRENÓ/THE SLED, Olesya Shchukina (Rússia).

Pode encontrar informação mais detalhada no website do Festival.

 

   

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *