Home / História do Cinema /

Descubra 5 realizadores de cinema que vão dar que falar nos próximos 5 anos

Descubra 5 realizadores de cinema que vão dar que falar nos próximos 5 anos

  

A indústria cinematográfica é condicionada por muitos fatores, mas não há como negar que um deles, e provavelmente o mais forte, é a própria visão dos realizadores que lideram a vanguarda da Sétima Arte. Através dos seus trabalhos, da forma como usam a sua visão para contar histórias e como nos fazem suscitar emoções durante a visualização, conseguimos perceber muito sobre o estado do cinema.

Mas é também através dos trabalhos de realizadores que conseguimos perceber os temas que estão em discussão no cinema e que vão dominar as tendências de storytelling dos próximos anos. Atendendo ao festival de Cannes de 2017, e aos trabalhos de alguns dos maiores realizadores dos últimos 5 anos, tentamos perceber que nomes vão dar que falar no cinema nos próximos 5 anos.

Já de seguida apresentamos uma lista de 5 realizadores de cinema e contamos um pouco sobre o percurso que fizeram até hoje e porque motivos vamos ouvir falar deles em breve, graças aos trabalhos que estão a produzir.

5 realizadores de cinema que vão dar que falar nos próximos 5 anos

1 – Paul Thomas Anderson

Não há dúvida de que Paul Thomas Anderson foi um dos melhores realizadores dos últimos 10 anos. Mas não há razão para dizer que a história não se repetirá. Há pouco mais de duas décadas atrás, Anderson fez o filme Hard Eight, onde demonstra a sua força de caráter que consegue agarrar o interesse da audiência, mesmo que a história sofra muitas mudanças pelo caminho. Seguiu-se então Boogie Nights, que catapultou a carreira do realizador.

Desde então que Anderson explorou já áreas do cinema como nenhum ouro. O realizador fez um filme em torno da indústria pornográfica, um sobre um veterano da Marinha, e outro sobre acontecimentos na fronteira da Califórnia há mais de um século.

E entre tais fundos variados são os protagonistas sinceros, mentalmente conflituosos, que dão sabor ao enredo. Mesmo em Inherent Vice, um filme que se pode tornar um pouco incoerente para alguns, há uma pitada de humor inteligente e todo o charme do protagonista vivido por Joaquin Phoenix. Atores como Phoenix, Daniel Day-Lewis e Julianne Moore – os dois últimos vencedores do Oscar – fizeram e farão no futuro vários projetos com Anderson. O próximo filme do realizador, Phantom Thread, tem já confirmada a presença de Day-Lewis.

2 – Dennis Villeneuve

Dennis Villeneuve pode ter começado a sua carreira há mais de vinte anos, mas só agora conseguiu alcançar protagonismo nos Óscares e algo nos diz que o voltará a fazer no futuro. Desde a sua primeira aparição no festival de Cannes em 1998 à nomeação para os Óscares do seu filme Arrival, Villeneuve nunca fez um trabalho que fosse desonesto ou pretensioso. E, após crescer gradualmente de filme para filme, está finalmente pronto para grandes produções.

O próximo filme do realizador, Blade Runner 2049, é o filme com classificação R-rated mais caro da história do cinema, orçamentado para 200 milhões de dólares. Há certamente razões para ter medo caso a sequela do filme de 1982 não seja um sucesso de bilheteiras. Mas se há alguém capaz de satisfazer os fãs e críticos, esse alguém é com certeza Villeneuve.

No caso de alcançar sucesso, o filme Blade Runner 2049 poderá fazer de Villeneuve o verdadeiro rei dos blockbusters de ficção cientifica, já que os mestres do género – James Cameron e Christopher Nolan – se encontram ainda longe de apresentar os seus filmes. Entretanto, após Blade Runner 2049, está já confirmado que Villeneuve embarcará numa nova aventura de ficção cientifica na adaptação cinematográfica do livro Dune.

3 – Steve McQueen

Após passar anos a brincar com curtas-metragens, Steve McQueen fez Hunger e provou ser capaz que do nada pode surgir tudo. A sua experiência escrita foi ainda menos definida, mas o diálogo envolvente que ajudou a montar para o filme é uma grande razão pela qual conseguiu alcançar o lugar onde está hoje. E a verdade é que o lançamento da sua carreira pode dizer-se ser muito ambicioso porque raramente um realizador começa com uma representação tão ambiciosa.

Essa mesma ambição foi também exibida em 12 Years a Slave, um filme que vale cada minuto mesmo que não seja algo de fácil digestão. Com um elenco incrível que apoia a sua visão, a abordagem crua e direta de McQueen funciona perfeitamente. Embora houvesse uma grande variedade de filmes por onde escolher para levar o Óscar naquele ano, o ano de 2014 deu-lhe a vitória.

Teremos que esperar um pouco mais do que desejamos para ver o próximo filme de Steve McQueen, embora com o seu estilo sem cortes e implacável, a espera prometa valer a pena. O realizador vai mergulhar no género do crime no próximo que girará à volta de viúvas, contando uma história sobre mulheres que assumem as responsabilidades dos maridos depois destes morrerem durante um assalto.

4 – Yorgos Lanthimos

Lanthimos está a ganhar admiração como o próximo grande cineasta surrealista, e a julgar pelos aplausos que recebeu em Cannes, o filme The Killing of the Sacred Deer está a ser considerado perfeitamente inquietante. Este é o filme que se segue a The Lobster, a comédia escura que explora a pressão feita pela sociedade para que os indivíduos encontrem as suas soulmates.

O realizador tem crescido muito ao longo dos últimos anos, e enquanto Dogtooth é em muitos aspectos o seu melhor filme, The Lobster foi o que o projetou para um público maior. Isso deve-se em grande parte ao vastamente subestimado Colin Farrell, que também protagoniza The Killing of the Sacred Deer. Com lançamento previsto para novembro, recomendamos que vá ao cinema ver o mais recente trabalho de Lanthimos porque quase de certeza dará que falar nos Óscares de 2018.

Hoje, Yorgos Lanthimos está a uma sombra ou duas de distância de nomes como Charlie Kaufman e David Cronenberg e parece ser um parente há muito perdido de David Lynch.

5 – Bong Joon-Ho

Park Chan-wook é ainda em muitos aspectos o favorito dos fãs quando se trata de falar de realizadores sul-coreanos. Mas Bong Joon-Ho, um realizador mais jovem com um currículo iniciado após na passagem do milénio, aproxima-se gradualmente do trono.

Bong Joon-Ho tem provado o seu talento através de comédias, filmes de crime, horror satírico e ficção científica distópica. Muito versátil no que diz respeito a géneros, avança agora na direção dos géneros de aventura-ação com o filme Okja que, após a estreia em Cannes em 2017, promete fazer grande furor por todo o mundo assim que estrear.

O mundo foi introduzido ao trabalho de Joon-Ho através do filme de culto Snowpiercer, que registou um sucesso tremendo de bilheteiras e catapultou de forma extraordinária a sua carreira. Hoje, Joon-Ho está de novo preparado para produzir um novo filme, mesmo que Okja ainda nem tenha sido apresentado ao público. Parasite, que será lançado em 2018, promete levar o realizador uma vez mais por novos caminhos, diferente de qualquer outro trabalho que nos tenha apresentado hoje.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

     
AdobeStock

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *