Home / Clássicos do Cinema /

Os 20 anos do lançamento do filme Corra, Lola, Corra e os seus elementos de sucesso

Os 20 anos do lançamento do filme Corra, Lola, Corra e os seus elementos de sucesso

Mídia Kit Blog Mundo de Cinema
 

Há obras que ficam marcadas na história e uma delas é o filme Corra, Lola, Corra. A obra é alemã e foi lançada em 1998 sendo uma produção de muito sucesso, principalmente da crítica especializada, ganhando até mesmos prémios internacionais importantes no meio do cinema, como o Sundance, por exemplo.

A obra é um clássico para os apaixonados pela sétima arte e também para os estudiosos de cinematografia, isso porque traz diversos elementos importantes de um bom filme. Veja abaixo alguns deles:

 

 

A história do filme e o porquê do seu sucesso

O filme conta a história de Lola e Manni.

Manni faz parte de uma quadrilha e perde no metro de Berlim o valor de 100,000 marcos alemães (moeda anterior ao euro) dentro de uma bolsa. Liga então para sua namorada Lola e pede para ela encontrar a bolsa com o dinheiro, se não ele será morto. Lola tem então 20 minutos para encontrar a bolsa.

O filme mostra três diferentes corridas de Lola e quais são as consequências de cada uma delas. A obra fez bastante sucesso devido a energia que transmite, com uma história de amor que gera engajamento e mostra uma excelente performance das relações humanas.

O filme mistura elementos como ação, sexo, personagens complexos, jogos de filmagens inteligentes, e também uma boa trilha sonora.

O grande responsável pela longa-metragem ser uma obra de arte cinematográfica é o seu diretor Tom Tykwer, que também escreveu o roteiro e fez a produção musical, criando tanto uma narrativa original de textos e de sons que se combinam em originalidade.

Em números, Corra, Lola, Corra acumula bons resultados: um rendimento de quase 23 milhões de dólares e a posição 860 na lista The 100 Best Films of World Cinema da revista Empire em 2010. A obra também concorreu ao Óscar de melhor filme estrangeiro no 71º evento da academia, mas infelizmente não levou o troféu para a casa.

 

 

As melhores cenas de Corra, Lola, Corra

Há várias cenas que se destacam no filme, entre elas uma das cenas iniciais na qual uma bola é chutada para cima, e a câmara mostra a visão da bola para a multidão da rua, as quais formam a frase Corra Lola.

Os créditos também são mostrados como se Lola fosse um personagem de vídeo game, o que a Folha de São Paulo afirmou na sua resenha ao filme, correndo contra o tempo e outros “monstros”.

 

Na corrida final, quando Lola já tinha aprendido com os erros que havia cometido nas duas primeiras corridas, tenta ganhar o dinheiro perdido numa mesa de roleta. A cena é tão icónica que até entrou para a história da roleta do Betway Casino.

Na cena, Lola decide apostar tudo o que tem no número 20, o qual é um símbolo recorrente no filme. Ela ganha uma primeira rodada e decide apostar novamente no mesmo número, o qual novamente é o correto, com isso todas as pessoas do casino ficam chocadas, ela consegue ganhar a fortuna que o namorado tinha perdido.

Os gritos que a Lola dá no filme também são bem importantes para o desenvolvimento da história, marcados por longos silêncios logo depois, o que mostra um stress angustiante com uma calma revigorante, segundo artigo do Medium do Cine Opinativo.

Por fim, as cenas nas quais ela tem que lidar com os obstáculos no seu caminho e como a cada corrida ela aprende algo e vai modificando seus atos são grande parte da mensagem que o filme quer passar.

 

 

Elementos principais de Corra, Lola, Corra

Entre os elementos principais do filme estão: o acaso e como ele pode resultar em significativas alterações no futuro, ou seja, cada mudança aleatória que fazemos em um dia, pode sim alterar o curso de nossas vidas, a repetição como forma de aprendizado e também para simbolizar a vida rotineira e cotidiana, que todos os dias apresentam as mesmas rotinas (e isso pode ser visto como uma prisão ou como uma liberdade de fazer diferente e melhor), a intensa tensão e o intenso silêncio, os quais são levados ao extremo, mostrando a importância de que depois de um grande estresse, venha também um grande alívio, o movimento em espiral, o qual pode ser encontrado em várias espécies na natureza e também no controle do tempo e da vida.

Lola está sempre rodando e rodando para chegar em um objetivo, o que pode ser comparado, com a entrada de casa, ano novo e finalmente a morte, por exemplo.

Além desses elementos descritos, há outros, entre eles: os relógios marcando sempre a passagem do tempo e trazendo pressão para alcançar os objetivos, o número 20, o qual é o grande responsável pela vitória de Lola no casino e a cor vermelha, que está no cabelo de Lola e em vários outros pontos das cenas.

A moral da história do filme Run Lola Run e a sua influência nos dias de hoje

A grande moral é sobre a importância das decisões que são tomadas na vida, já que elas vão exigir ações que podem mudar completamente o destino. Além disso, o filme reflete sobre o papel das pessoas no destino dos seus relacionamentos e por fim, mostra ainda o grande personagem da vida de todos nós: o tempo.

Em adição a cada corrida, Lola vai aprendendo mais sobre sua vida, aumentando suas possibilidades de ações para a vida seguinte, mostrando que todos os erros do passado, na verdade são parte do processo de construir uma vida melhor.

Ou seja, esse é um filme inteligente e que traz uma alegoria da vida muito interessante. A longa-metragem Corra, Lola, Corra influencia obras dos dias de hoje, a série de televisão britânica SMILF tem um episódio que imita exatamente o filme, com três roteiros, no qual a personagem também vai evoluindo e correndo contra o tempo, revelando o porquê do filme ser um clássico que molda a arte moderna, mesmo depois de 20 anos do seu lançamento.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

     
AdobeStock
 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *