Home / Marketing de cinema /

Amazon Studios: um ano de muitos filmes e de alguns Óscares

amazon studios

Amazon Studios: um ano de muitos filmes e de alguns Óscares

 

No início de 2015, quando o streaming era já forte nos Estados Unidos – a Netflix já estava bem instalada no mercado –  e se começava a alastrar pela Europa, a Amazon avançou com uma grande novidade: depois do sucesso tremendo da sua primeira série original, produzida pelos Amazon Studios, a multinacional líder em e-commerce estava decidida a dar um passo em frente para a produção de filmes, esperando acompanhar a produção de conteúdos originais do Netflix.

De acordo com o comunicado emitido pelos estúdios da Amazon, a ideia passava  por adquirir e produzir ideias originais de filmes para serem distribuídos pela Amazon Prime Instant Video. Assim que a notícia foi anunciada no dia 19 de janeiro de 2015, o mundo mostrou-se ansioso para perceber como é que tal sistema resultaria e se os conteúdos produzidos pelos Amazon Studios seriam dignos de ir ao cinema ou pelo menos de subscrever o seu serviço de streaming.

O plano anunciado pela Amazon, em 2015, passava por produzir cerca de 12 filmes por ano, projetos de estilo indie com orçamentos que variassem entre os 5 milhões de dólares e os 25 milhões por título. A partir do momento em que ficassem finalizados, os filmes passariam a integrar o catálogo da Amazon Prime Instant Video – o serviço de streaming da Amazon – cerca de quatro a oito semanas após chegarem aos cinemas.

Mais de dois anos passados desde o anúncio da Amazon, quisemos perceber de que forma os planos da gigante do e-commerce resultaram. De forma geral, constatamos que até à data em que este artigo foi escrito tinham sido lançados com sucesso 16 filmes originais da Amazon.

O primeiro título a chegar ao cinema foi Chi-Raq, com estreia marcada a 4 de novembro de 2015. Tratando-se de um filme musical, que mistura sátira com drama, o filme foi muito bem recebido e considerado um sucesso para o lançamento desta nova faceta da Amazon. Em 2015 não foi lançado nenhum outro título, ainda que muitos planos estivessem feitos para o ano seguinte.

O ano de 2016 começou em grande quando, no dia 14 de março, estreia Creative Control. Este era o segundo filme da Amazon Studios e o primeiro de treze a estrear em 2016. Recordando que a Amazon tinha anunciado a sua intenção de produzir 12 filmes por ano, podemos já por aqui ver que a meta não foi só concluída, como também ultrapassada. Até ao final do ano, foi lançado pelo menos um filme por mês, mantendo assim o ritmo produtivo dos estúdios. Fica a lista de todos os filmes lançados:

  • Chi-Raq – 4 de novembro de 2015
  • Creative Control – 14 de março de 2016
  • Elvis & Nixon – 22 de abril de 2016
  • Love & Friendship – 13 de maio de 2016
  • The Neon Demon – 24 de junho de 2016
  • Wiener-Dog – 24 de junho de 2016
  •  Café Society – 15 de julho de 2016
  •  Gleason – 29 de julho de 2016
  • Complete Unknown – 26 de agosto de 2016
  • Author: The JT LeRoy Story – 9 de setembr de 2016
  • The Dressmaker – 23 de setembro de 2016
  • An American Girl Story – Melody 1963: Love Has to Win – 21 de outubro de 2016
  • The Handmaiden – 21 de outubro de 2016
  • Gimme Danger – 28 de outubro de 2016
  • Manchester by the Sea – 18 de novembro de 2016
  • Paterson – 28 de dezembro de 2016
  • The Salesman  – 27 de janeiro de 2017
  • I Am Not Your Negro – 3 de fevereiro de 2017

Entre os títulos lançados é importante realçar alguns deles, como é o caso de Elvis & Nixon – um filme que conta com a participação de Kevin Spacey, que veste a pele do Presidente Nixon, num encontro com o mítico cantor de rock Elvis Presley (vivido por Michael Shannon). O filme, que recebeu críticas razoavelmente positivas, foi a primeira produção de luxo que  a que o público assistiu: quer por se tratar de um filme histórico, quer pelo elenco que trouxe.

 

Em julho, foi a vez de estrear o filme Café Society – realizado por Woody Allen – que entre outros  contou com a participação de atores como Steve Carrell, Jeannie Berlin, Jess Eisenberg, Kristen Stewart, entre outros. Produzido em parceria com o Lionsgate, o filme rendeu cerca de 43 milhões de dólares e críticas positivas.

Ainda assim, a grande vitória dos Amazon Studios até agora é o filme Manchester by the Sea. O filme, que contou com a interpretação de Casey Affleck no papel principal, valeu aos estúdios os seus primeiros dois Óscares num filme de ficção: um Óscar em melhor argumento original e outro por melhor ator em papel principal. Além das categorias que venceram, o filme esteve nomeado para 4 outras categorias, incluindo Melhor Filme.

Um outro vencedor da noite dos Óscares foi o filme The Salesman, que venceu na categoria de Melhor filme de língua estrangeira, um filme iraniano produzido pela Amazon que conta a história de uma relação que azeda após os protagonistas interpretarem a peça de teatro Death of a Salesman, de Arthur Miller.

Este é o balanço do trabalho de um ano da Amazon Studios. Nos próximos meses temos a certeza de que novos filmes nos serão apresentados pelos estúdios da Amazon e que a probabilidade de brilhar novamente na noite dos Óscares será muito alta.

 

 

ARTIGOS RELACIONADOS

     
AdobeStock
 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *