Home /

Article

Arquivos / 49 post/s encontrados

Joana d’Arc: quem foi a mulher por detrás do mártir?

by Tiago Leão
Poucos são aqueles que nunca ouviram falar de Joana D'Arc, a heroína francesa que, de espada em riste, defendeu o seu país contra as investidas britânicas durante a Guerra dos Cem Anos, para pouco depois ser queimada por acusações de heresia. Esta figura feminina é muitas vezes revisitada no cinema, no teatro e até na televisão. Pois é precisamente esse o caso do filme de que lhe falamos neste post.

Qual terá sido o primeiro filme comercializado em VHS?

by Tiago Leão
Popular nas últimas décadas do século XX, o VHS (Video Home System) foi o predecessor do DVD (Digital Versatil Disc). O sistema de gravação nasceu já no ano de 1976 e funciona a partir de cassetes de vídeo. Dentro de cada uma delas encontrava-se uma fita que necessitava de ser puxada atrás sempre que o filme terminava e o queríamos voltar a ver. A facilidade com que o sistema era usado, assim como a qualidade dos filmes, fez com que o VHS se tornasse cada vez mais popular.

Icónicos sem dúvida, mas continuam a ser filmes sem Óscares

by Tiago Leão
Todos os cinéfilos sabem que, quando se chega ao mês de fevereiro, se inicia a contagem decrescente para a cerimónia dos Óscares. Nesse mesmo evento, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas – fundada em 1927, em Los Angeles – premeia aqueles que foram os melhores filmes realizados no ano anterior. As estatuetas douradas são entregues em múltiplas categorias, que vão desde a realização à interpretação dos atores, sem pôr de lado ainda as componentes mais técnicas e cenográficas.

Asas: o primeiro melhor filme, segundo a Academia

by Tiago Leão
O dia 17 de maio de 1929 foi histórico para o mundo do cinema. Algures num hotel em Hollywood, Califórnia (EUA), um pequeno evento que não terá demorado mais do que 15 minutos (e que contou com a presença de cerca de 250 pessoas) homenageou alguns dos melhores filmes do cinema, atribuindo prémios conforme a categoria em que cada filme melhor se destacava. Tratava-se da cerimónia que hoje conhecemos como Óscares.

The Police Patrol e a chegada do cinema à televisão

by Tiago Leão
Do cinema para a televisão, os filmes foram uma parte importante da afirmação deste novo meio de comunicação social perante o grande público. Com um grande desenvolvimento nas décadas de 1920 e 1930, o aparelho caseiro tornou-se popular muito rapidamente. O primeiro filme chegou no ano de 1931 e chamava-se The Police Patrol (Investigação Policial, na versão portuguesa).

Don Juan: o filme que deu as boas-vindas ao cinema sonoro

by Tiago Leão
Realizado por Alan Crosland, Don Juan entrou para a história do cinema por ser a primeira longa-metragem sonorizada de sempre. Ainda que sem diálogos, a obra cinematográfica fez parte do processo de transição da sétima arte para a fase do som. Juntamente com The Jazz Singer (o primeiro filme falado), Don Juan foi responsável pela introdução de uma nova tecnologia: o Vitaphone.

O sucesso de Twister e a transição do VHS para o DVD

by Tiago Leão
Neste artigo resolvemos falar de um dos fenómenos mais recentes do mundo cinematográfico: os DVD's. Algures no início deste milénio, as cassetes de VHS começaram a desaparecer, tornando-se cada vez mais escassas e adotando um novo corpo: um pequeno disco, muito leve e que ocupava menos espaço, além de garantir uma imagem com (muito) melhor qualidade. Para usar estes DVD's foi necessário investir também em aparelhos próprios. Mas quando é que se começou a trocar a cassete pelo DVD?

Jayne Mansfield: o quão chocante foi a 1ª cena de nudez do cinema?

by Tiago Leão
O filme Promises! Promises! é uma comédia sexualmente desinibida que conta a história de um casal que decide embarcar num cruzeiro. Numa noite de embriaguez, os jovens casados conhecem outro casal e acabam por trocar de parceiros. Até aqui nada de novo, não fosse este o filme com a primeira cena de nudez da história do cinema.

Perdido em Marte: um bom filme com potencial para mais

by Tiago Leão
Não foi de forma irrefletida que escolhi o título deste artigo. Arrebatado pela febre em torno de Perdido em Marte, fui um dos muitos que aguardaram ansiosamente a estreia do filme nos cinemas. Antes de assistir à película, fiz questão de comprar o livro, mas no final acabei por ficar com a impressão de que ambas as obras tinham potencial para (muito) mais.