Home / Archives /

História do Cinema

História do Cinema / 53 posts encontrados

Asas: o primeiro melhor filme, segundo a Academia

by Tiago Leão
O dia 17 de maio de 1929 foi histórico para o mundo do cinema. Algures num hotel em Hollywood, Califórnia (EUA), um pequeno evento que não terá demorado mais do que 15 minutos (e que contou com a presença de cerca de 250 pessoas) homenageou alguns dos melhores filmes do cinema, atribuindo prémios conforme a categoria em que cada filme melhor se destacava. Tratava-se da cerimónia que hoje conhecemos como Óscares.

Don Juan: o filme que deu as boas-vindas ao cinema sonoro

by Tiago Leão
Realizado por Alan Crosland, Don Juan entrou para a história do cinema por ser a primeira longa-metragem sonorizada de sempre. Ainda que sem diálogos, a obra cinematográfica fez parte do processo de transição da sétima arte para a fase do som. Juntamente com The Jazz Singer (o primeiro filme falado), Don Juan foi responsável pela introdução de uma nova tecnologia: o Vitaphone.

O sucesso de Twister e a transição do VHS para o DVD

by Tiago Leão
Neste artigo resolvemos falar de um dos fenómenos mais recentes do mundo cinematográfico: os DVD's. Algures no início deste milénio, as cassetes de VHS começaram a desaparecer, tornando-se cada vez mais escassas e adotando um novo corpo: um pequeno disco, muito leve e que ocupava menos espaço, além de garantir uma imagem com (muito) melhor qualidade. Para usar estes DVD's foi necessário investir também em aparelhos próprios. Mas quando é que se começou a trocar a cassete pelo DVD?

Jayne Mansfield: o quão chocante foi a 1ª cena de nudez do cinema?

by Tiago Leão
O filme Promises! Promises! é uma comédia sexualmente desinibida que conta a história de um casal que decide embarcar num cruzeiro. Numa noite de embriaguez, os jovens casados conhecem outro casal e acabam por trocar de parceiros. Até aqui nada de novo, não fosse este o filme com a primeira cena de nudez da história do cinema.

Bwana Devil: o primeiro filme visto com óculos 3D

by Tiago Leão
Estamos nos anos 50 quando o cinema sofre um dos seus maiores abalos. Entre 1948 e 1951, o número de espectadores das salas cinematográficas desce dos 90 milhões para os 46 milhões, perdendo quase metade das audiências. Porquê? A resposta é muito fácil: a televisão.

Walt Disney chegou a hipotecar a casa por causa de Branca de Neve

by Eduardo Aranha
Se os irmãos Grimm soubessem em pleno século XIX que algumas das suas histórias viriam um dia a ser contadas em desenhos animados, e que todas as crianças cresceriam a conhecer a Branca de Neve e os Sete Anões, teriam provavelmente desatado a rir e diriam que era impossível, porque implicava magia e magia só existe nas histórias. Porém, a verdade é que a magia aconteceu.

O Cantor de Jazz que abriu as portas para o cinema falado

by Tiago Leão
No ano de 1927, a 7ª Arte ganhou voz pela primeira vez (literalmente). No ecrã, estava Al Jolson, que no papel de Jakie Rabinowitz, ficaria eternizado como o primeiro ator a ser ouvido no cinema. Clássico mesmo entre os clássicos, O Cantor de Jazz (em inglês, The Jazz Singer) foi nomeado para um Óscar e mantém-se até hoje como uma das maiores referências do género musical.

Garganta Funda: o maior fenómeno de culto do cinema pornográfico

by Tiago Leão
Não importa se gosta ou não: a verdade é que a indústria dos filmes pornográficos é uma das maiores do mundo do cinema. E é impossível falar deste nicho sem referir Deep Throat (em português Garganta Funda), um clássico bem conhecido por ter sido o primeiro filme do género a chegar ao cinema em 1972. Mesmo que nunca tenha visto o filme é muito provável que já tenha ouvido pelo menos uma menção ao título.
filme a cor

O filme a cor que estava perdido e veio mudar a história do cinema

by Eduardo Aranha
Até setembro de 2012, aquele que era considerado o primeiro filme a cores datava de 1908, altura em que foi patenteado o sistema Kinemacolor, capaz de produzir películas a cor. No entanto, uma pequena lata perdida nos arquivos do National Media Museum no Reino Unido mudou a história do cinema… outra vez!