Home / Archives /

Realizadores

Realizadores / 68 posts encontrados

Toda a Programação do BEAST – Festival Internacional de Cinema 2019

by Marta Reis
A terceira edição do BEAST – Festival Internacional de Cinema apresenta mais de 90 filmes de produção recente que promovem um olhar pelo cinema que se produz, hoje, na Europa de Leste. Dividida em 3 eixos fundamentais, East Wave; East Doc e ExperimentalEAST, a competição internacional do BEAST apresenta uma eclética selecção de filmes de produção recente, desenhando o caminho por entre uma geração de novos realizadores.

Tudo sobre a 15ª edição do FEST – Festival Novos Realizadores, Novo Cinema

by Marta Reis
A 15ª edição do FEST – Festival Novos Realizadores, Novo Cinema teve lugar de 24 de Junho a 1 de Julho, em Espinho. Esta edição voltou a reunir o novo cinema mundial a um vasto programa de indústria, destinado a curiosos, alunos e profissionais da área. Conheça neste post as novidades e todos os premiados.

Recordações da Casa Amarela: a escuridão e luz de João César Monteiro

João César Monteiro marcou indelevelmente a forma como se pensa, faz e lê o cinema em Portugal, tanto enquanto cineasta e ator, como enquanto escritor e crítico de cinema. Debruçamo-nos neste texto sobre um dos seus filmes mais importantes: Recordações da Casa Amarela, que acompanha a vida de João de Deus no caminho obscuro e descendente das misérias de Lisboa.

Obras-Primas do Cinema Europeu: L’Age d’Or, Choque de Imagens de Luís Buñuel

Luís Buñuel (1900-1983) inicia a sua carreira cinematográfica realizando, de plano, 2 filmes básicos do cinema, ambos de vanguarda, ambos surrealistas, além de excelentes. O filme A Idade do Ouro (L’Age d’Or, França, 1930) revela um diretor forrado de ampla cultura humanística e artística e com perfeito domínio da linguagem cinematográfica. Conheça a nossa review deste clássico do cinema europeu.

Um Homem com uma Câmera: A Mágica da Arte de Dziga Vertov

O filme mítico de Dziga Vertov intitulado Um Homem Com Uma Câmera é, além de tudo, obra de arte, na qual a beleza da imagem contém a beleza do objeto que a compõe, bem como esta constitui aquela num ato simultaneamente temático e formal, em que um depende do outro para existir e se manifestar. Leia a análise de Guido Bilharinho.

Obras-Primas do Cinema Europeu: O Vampiro de Carl Theodor Dreyer

by Guido Bilharinho
Carl Theodor Dreyer é um dos cineastas mais importantes do cinema por força de filmografia tão fundamental que se coloca ao lado dos maiores ficcionistas do século. E uma das suas obras mais notáveis é o filme O Vampiro (1932), que pode conhecer melhor nesta review.

Filmes Soviéticos: O Encouraçado Potemkin, A Arte da Imagem

Se o cinema é a arte da imagem em movimento, O Encouraçado Potemkin de Sergei Eisenstein é a arte da imagem. Não é apenas o melhor filme do cinema. É cinema. É a beleza da imagem. Da imagem que fala e significa. Da imagem discurso, mas, antes de tudo, da imagem visão.

Obras-Primas do Cinema Europeu: Nosferatu, a Arquitetura do Terror

Em 1922, Murnau realiza Nosferatu baseado no livro de Bram Stoker. Não obstante ter-se posteriormente produzido várias versões do tema, como as realizadas por Tod Browning e Francis Ford Coppola, é indispensável - e mesmo inevitável - compará-lo com a refilmagem de Werner Herzog.

Obras-Primas do Cinema Europeu: a Criatividade e Arrojo de Metrópolis

Metrópolis (1926) de Fritz Lang é talvez, cronologicamente, o primeiro grande filme de ficção-científica. Não simplesmente o primeiro, porque, antes dele, e desde Méliès, com seu Voyage Dans la Lune (1902), o gênero já se instala no cinema. Mas, o primeiro de valor artístico, de arrojada criatividade.

Outubro: A Arte da Realidade de Sergei Eisenstein

Em 1927, no décimo aniversário da revolução soviética, Sergei Eisenstein (1898-1948), auxiliado por Grégori Alexandrov (1903-1983), realiza Outubro (Oktiabr, U.R.S.S., 1927) dedicado à tomada do poder na Rússia pelos bolcheviques. Do ponto de vista puramente artístico e cinematográfico, é obra brilhante, como todas suas realizações. Salientam-se nela - pela extrema modernidade, agilidade e adequação - os cortes e a montagem.

L’Enfant: adultos que são crianças a viver num mundo brutal

by Eduardo Aranha
Este artigo foca-se no filme L’Enfant, realizado por Jean Pierre e Luc Dardenne, que arrecadou a Palma de Ouro no Festival de Cannes 2005, entre outras distinções. Os irmãos Dardenne moldaram as personagens e a ação do filme, combinando material literário e inspirações de eventos reais que influenciaram o processo criativo da dupla e acabaram por ser integrados na história.