Home / Archives /

Reviews de Filmes

Reviews de Filmes / 73 posts encontrados

Um Homem com uma Câmera: A Mágica da Arte de Dziga Vertov

O filme mítico de Dziga Vertov intitulado Um Homem Com Uma Câmera é, além de tudo, obra de arte, na qual a beleza da imagem contém a beleza do objeto que a compõe, bem como esta constitui aquela num ato simultaneamente temático e formal, em que um depende do outro para existir e se manifestar. Leia a análise de Guido Bilharinho.

Tiro e Queda: uma comédia à portuguesa para divertir a família

by Gonçalo Sousa
Dois homens. Uma missão. Qual missão? Ninguém sabe. Talvez nem eles próprios. Tiro e Queda é o filme sobre o qual nos avisaram para ter cuidado quando éramos pequenos. Tem amor erótico-libidinoso, tem ação cabriólica e comédia gargalhófica. O que se pode pedir mais de um filme? Muita coisa. Mas deste não.

Obras-Primas do Cinema Europeu: O Vampiro de Carl Theodor Dreyer

by Guido Bilharinho
Carl Theodor Dreyer é um dos cineastas mais importantes do cinema por força de filmografia tão fundamental que se coloca ao lado dos maiores ficcionistas do século. E uma das suas obras mais notáveis é o filme O Vampiro (1932), que pode conhecer melhor nesta review.

Chasing Trane: um filme imperdível sobre John Coltrane, o Santo do Jazz

by Gonçalo Sousa
Escrito e realizado por John Scheinfeld, “Chasing Trane: The John Coltrane Documentary” é um retrato rico e cativante de um artista único que nos revela os acontecimentos mais importantes, as paixões, experiências e desafios que moldaram a vida de John Coltrane e a sua música revolucionária.

Obras-Primas do Cinema Europeu: Berlim, Sinfonia da Metrópole

Se o cinema nas duas primeiras décadas do século XX tateava à procura de uma linguagem própria, os anos 20 desse século assistem a eclosão de uns e outros. Nessa década dão-se realizações artísticas experimentais e de vanguarda como nunca antes e nem depois o cinema teria iguais. Um desses filmes é Berlim, Sinfonia da Metrópole (1927) de Walter Ruttmann.

Let’s Play Two: um documentário sobre os Pearl Jam que une a Música e Desporto

by Gonçalo Sousa
Através da visão de Danny Clinch e da voz dos Pearl Jam, o filme Let's Play Two mostra o percurso de uma relação especial – interligando momentos marcantes do percurso da banda com a história dos Chicago Cubs. É um documentário que destaca a música, o suor e todas as esperanças que envolve ser, simultaneamente, um admirador dos Chicago Cubs e do grupo de Seattle.

Filmes Soviéticos: O Encouraçado Potemkin, A Arte da Imagem

Se o cinema é a arte da imagem em movimento, O Encouraçado Potemkin de Sergei Eisenstein é a arte da imagem. Não é apenas o melhor filme do cinema. É cinema. É a beleza da imagem. Da imagem que fala e significa. Da imagem discurso, mas, antes de tudo, da imagem visão.

O maravilhoso reflexo dos Arcade Fire num documentário excepcional

by Eduardo Aranha
The Reflektor Tapes é um documentário visualmente estonteante e hipnótico sobre o processo criativo dos Arcade Fire. O documentário foi realizado por Khalil Joseph e reúne imagens das sessões de gravação do disco Reflektor, atuações ao vivo e registos da estadia do grupo no Haiti.

Obras-Primas do Cinema Europeu: Nosferatu, a Arquitetura do Terror

Em 1922, Murnau realiza Nosferatu baseado no livro de Bram Stoker. Não obstante ter-se posteriormente produzido várias versões do tema, como as realizadas por Tod Browning e Francis Ford Coppola, é indispensável - e mesmo inevitável - compará-lo com a refilmagem de Werner Herzog.

Os 20 anos do lançamento do filme Corra, Lola, Corra e os seus elementos de sucesso

by Gonçalo Sousa
Há obras que ficam marcadas na história e uma delas é o filme Corra, Lola, Corra. A obra é um clássico para os apaixonados pela sétima arte e também para os estudiosos de cinematografia, isso porque traz diversos elementos importantes de um bom filme. Veja neste post alguns deles.

Obras-Primas do Cinema Europeu: a Criatividade e Arrojo de Metrópolis

Metrópolis (1926) de Fritz Lang é talvez, cronologicamente, o primeiro grande filme de ficção-científica. Não simplesmente o primeiro, porque, antes dele, e desde Méliès, com seu Voyage Dans la Lune (1902), o gênero já se instala no cinema. Mas, o primeiro de valor artístico, de arrojada criatividade.