Home / Cinema /

10 factos reais do cinema que provavelmente desconhece

10 factos reais do cinema que provavelmente desconhece

 

Nasceu oficialmente numa cave em Paris e desde então cresceu para se tornar num fenómeno de massas com inúmeras correntes e adeptos. Falámos obviamente do cinema que, sendo muito diferente das projeções dos irmãos Lumiére no Grand Café de Paris no final do século XXI, mantem a sua principal essência: captar o público através de histórias projetadas numa tela.

E são, de facto, muitas as histórias que se tornaram de tal forma icónicas que é impossível não as recordar. Do cinema mudo, aos clássicos portugueses, passando mesmo pelo mais recente fenómeno adolescente: todos têm um filme favorito. Os que não têm recordam vários. O motivo? Esse varia: ora pela história, ora por uma cena mais marcante ou até mesmo a pessoa com que assistimos à obra pela primeira vez.

Neste post recuamos no tempo e revisitamos alguns dos clássicos que o cinema trouxe à vida. Não falamos, no entanto, daquilo que já todos sabem. Pelo contrário, decidimos mostrar-lhe alguns factos reais de que provavelmente nunca ouviu falar mas que asseguradamente aconteceram. Está pronto para testar o seu conhecimento sobre cinema? Então leia até ao fim.

10 factos reais sobre filmes históricos

O tamanho de King Kong

A personagem do gorila gigante que invade Nova Iorque à procura da humana por quem se apaixonou é já um clássico. King Kong chegou pela primeira vez ao cinema em 1933, mas nessa altura o primata não era assim tão grande. Para dizer a verdade o modelo usado tinha apenas 40 centímetros de altura. Anos depois, no filme de 1976 nomeado para dos Óscares, o King Kong cresceu para 13 metros.

I’m singing in the… milk?

Gene Kelly e uma cena que se tornou no símbolo na indústria dos musicais. Estávamos em 1952 quando Singin’ in the Rain (Uma Serenata à Chuva, na versão portuguesa) chegava às salas de cinema. O que nem todos sabem é que a chuva que vemos não é só água. Para que a chuva pudesse ser vista com maior definição, os responsáveis pelo filme decidiram misturar leite na água. Pelos mesmos motivos, Psycho, de 1960, usou chocolate em estado líquido para simular sangue.

Os filmes de Ronald Reagan

A expressão pode até parecer depreciativa, mas o presidente dos Estados Unidos da América foi mesmo ator. Alguns dizem mesmo que este será o maior caso de sucesso do cinema: dos filmes para a televisão, depois para a presidência do Screen Actor Guild, Reagan tornou-se governador da Califórnia e, depois, presidente dos Estados Unidos. Da sua filmografia fazem parte filmes como This is the Army e Hollywood Hotel.

Vômito ou sopa de ervilhas?

O Exorcista, de 1973, é um clássico dos filmes de terror, chegando mesmo a ganhar dois Óscares, algo pouco comum no género. Para a história, fica a cena onde Reagan McNeil, interpretado por Linda Blair, começa a vomitar uma mistura verde, estranha e repulsiva. De que era feita a pasta? Pois, de nada mais nada menos, do que uma simples sopa de ervilhas, misturada com papa de aveia.

As balas que mataram Bonnie e Clyde

 

O casal de assaltantes mais famoso da história já conheceu várias adaptação ao cinema e à televisão. Mais ou menos fiéis, os filmes sobre Bonnie e Clyde acabam normalmente da mesma forma: a morte do casal, na sequência de um emboscada. Em Bonnie and Clyde de 1967 foram usadas 87 balas para matar o casal. Na realidade, foram precisas 187.

Desencontros em Casino Royale

Na versão original de Casino Royale, de 1967, o famoso jogo de cartas entre Le Chiffre e James Bond não foi filmado em simultâneo. Apesar da dinâmica entre os atores, a verdade é que Peter Sellers, que dava corpo ao mais famoso agente secreto de sempre, e Orson Welles, o temível adversário, nunca se cruzaram no set de gravações. Diz-se que os atores não gostavam muito um do outro e, por isso, o filme foi filmado em dias diferentes.

As roupas de Elizabeth Taylor em Cleopatra

Cleopatra, de 1963, é sem dúvida um dos maiores sucessos da atriz Elizabeth Taylor. O que nem todos sabem é que durante as gravações, a atriz usou 65 figurinos diferentes. A juntar a estes, existiam mais 40 novas roupas que nunca chegaram a aparecer. O filme estabeleceu um record que acabou por ser batido pelos 32 mil figurinos dos milhares de figurantes de Quo Vadis, de 1951.

A primeira sala de cinema do mundo

As primeiras projeções ocorriam esporadicamente em cafés ou outros espaços de grande afluência pública. Embora o cinematógrafo tenha sido apresentado no Grand Café de Paris, uma experiencia já havia sido realizada naquela que é considerada como a primeira sala de cinema do mundo, o Eden, localizado em La Ciotat.

O record de figurantes de Gandhi

Lançado em 1982, o filme Gandhi conta a história de como um advogado se transformou no líder de uma série de protestos não-violentos. Além dos 8 dos 11 Óscares para o qual estava nomeado, o filme bateu o record de maior número de figurantes alguma vez usado. Ao todo, foram 300 mil.

Quem construiu o Hollywood Sign?

Hollywood Sign, o famoso letreiro de Hollywood em Los Angeles, é já um dos mais icónicos monumentos do cinema. O objetivo inicial era que aquele fosse uma espécie de publicidade a uma construção imobiliária, todavia, com a Grande Depressão e II Grande Guerra, a obra acabou por parar. Inicialmente, o letreiro tinha duas palavras (Hollywood Land), mas, em 1949, a Câmara do Comércio de Hollywood conseguiu que a segunda parte fosse retirada. Atualmente, o monumento está a cargo da cidade de Los Angeles, da Câmara do Comércio de Hollywood e de um órgão específico, responsável por toda a manutenção das letras.

 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *