Home / Documentários /

A um mar de distância: as Sepulturas Esquecidas dos Pescadores de Bacalhau Portugueses

a um mar de distância

A um mar de distância: as Sepulturas Esquecidas dos Pescadores de Bacalhau Portugueses

Durante a ditadura do Estado Novo, os pescadores portugueses saiam como heróis do Rio Tejo, muitos deles em veleiros, rumo aos bancos da Terra Nova e às águas geladas da Gronelândia. E na década de 60, com o país envolvido numa guerra colonial, a pesca do bacalhau era uma alternativa, legalmente instituída, ao cumprimento do serviço militar obrigatório, que implicava, naqueles anos, a mobilização para um cenário de combate.

Ainda assim, ninguém sabe quantos portugueses morreram na Pesca do Bacalhau durante o Estado Novo.

A um mar de distância, realizado por Pedro Magano, tem como fio condutor a investigação do jornalista Abel Coentrão sobre portugueses que morreram na pesca do bacalhau, cujas sepulturas ficaram esquecidas em terras longínquas.

Rodado entre Portugal e o Canadá, o documentário retrata o luto à distância, a memória, a nossa história e o tributo a todos esses heróis que ficaram longe dos seus. Em 2015, graças à recuperação de vários arquivos e testemunhos, foi possível identificar pelo menos uma dessas sepulturas, fazendo assim uma espécie de trasladação, não de corpos, mas da memória destes homens.

Afinal de contas, de que valem a fotografia e o cinema para a memória de um povo? As imagens do documentário incluem as fotografias de um jovem português, no verão de 1966, que captou imagens da Gronelândia, inclusive a sepultura do pai, pescador de bacalhau que tinha morrido num acidente de trabalho.

Entretanto, no mesmo ano, um realizador canadiano filmava “The White Ship”, um documentário que nos mostra o funeral de outro português, vítima de uma tempestade a bordo do navio, e que ficou sepultado em Saint John’s, no Canadá. Também essas imagens fazem parte de A um mar de distância.

Estreia Nacional de A um mar de distância no Museu Marítimo de Ílhavo

Produzido pela Pixbee, o filme A um mar de distância teve também apoio da RTP, Câmaras Municipais de Vila do Conde, Caminha e Ílhavo, Mútua de Pescadores e da Academia de Bacalhau de New Bedford (EUA).

A um mar de distância, de Pedro Magano, vencedor do Grande Prémio da última edição do Festival Caminhos do Cinema Português, terá a sua estreia nacional em Ílhavo, cidade natal do realizador, no próximo dia 4 de Novembro, às 22h, no Museu Marítimo de Ílhavo. No dia 5 de Novembro haverá uma segunda exibição do filme, à mesma hora, no mesmo local.

O documentário será em breve exibido também em Vila do Conde, Caminha e Nazaré, etc. Estejam atentos!

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *