Home / Filmes de Terror /

O guia indispensável para conhecer a carreira de Hitchcock

O guia indispensável para conhecer a carreira de Hitchcock

 

Alfred Hitchcock, por muitos anos que passem, será sempre um nome de peso dentro do género do thriller e do terror. Considerado um verdadeiro mestre do suspense e por vezes criticado pela sua visão futurista, não há dúvidas hoje de que Alfred Hitchcock quebrou convenções, “matou” protagonistas quando os espectadores menos esperavam e atirou as culpas para o colo de personagens que, afinal, não eram culpadas.

O mais fantástico é que o trabalho de Alfred Hitchcock continua hoje a inspirar novos trabalhos e a ser alvo de fascínio por muitos estudiosos. Se ainda não sabe muito sobre o realizador, permita-me então que faça uma pequena introdução. Nascido no Reino Unido, Hitchcock viveu grande parte da sua vida nos Estados Unidos onde, entre os estúdios de Hollywood e as vedetas do cinema, executou algumas das mais importantes obras do cinema.

Esta apresentação muito breve, no entanto, é incapaz de explicar a fundo a vida e carreira de Hitchcock. Portanto, que tal ver filmes para celebrar o realizador? Abaixo vamos apresentar uma lista não só de filmes emblemáticos da carreira de Hitchcock, como também um filme biográfico de 2012 e uma série televisiva inspirada num dos trabalhos mais conhecidos do realizador.

O guia indispensável para conhecer a carreira de Hitchcock

Rebecca, a Mulher Inesquecível (1940)

Em preto e branco, Hitchcock conta a história de uma mulher atormentada pelas lembranças de Rebecca, a esposa morta de seu marido. O filme teve diversas adaptações para rádio e foi produzido por David Selznick, bem conhecido pela produção do filme E tudo o Vento Levou. Uma verdadeira obra-prima, este filme é um dos que marcas os primeiros anos da carreira de Hitchcock.

A Sombra de Uma Dúvida (1943)

A Sombra de Uma Dúvida foi sem dúvida polémico quando chegou aos cinemas. O enredo revolve em torno de Charlotte, uma rapariga que recebe a visita do seu Tio Charlie, um homem encantador e adorado por todos. Mas como esta é uma história de mistério, não tardam a acontecer certos eventos que levam a rapariga a suspeitar que o tio possa ser, na verdade, um assassino. É assim que Charlotte acaba por se tornar um alvo. Ainda assim, o filme Shadow of a Doubt é ainda hoje considerado  um dos melhores de Hitchcock.

Interlúdio (1946)

E passamos agora para o filme Interlúdio. Este thriller que tem como protagonistas Cary Grant e Ingrid Bergman explora a história de uma mulher responsável por espiar um grupo de nazis na América do Sul. Pelo seu valor histórico, inserido no contexto pós-II Guerra Mundial, a película recebeu duas nomeações aos Óscares e, ainda que não tenha levado nenhuma estatueta dourada para casa, valeu três prémios a Hitchcock.

Festim Diabólico (1948)

Cinema e teatro na mesma película? Sim, Hitchcock também deu uma pisadas ao adaptar uma peça de teatro de Patrick Hamilton para o grande ecrã. Neste filme acompanhamos o crime brutal de dois jovens contra um colega da mesma escola. Porém, o macabro não se fica por aqui… Os colegas resolvem organizar uma festa para os familiares e amigos, onde testam os limites do “assassinato perfeito”.

 

Janela Indiscreta (1954)

Rear Window (A Janela Indiscreta) é, juntamente com Psycho, um dos maiores ex-libris da obra de Hitchcock. Sobre a história, já não há muito mais a dizer: um fotógrafo numa cadeira de rodas usa a máquina fotográfica para vigiar os seus vizinhos através da janela do seu apartamento. Ao fim de algum tempo, convence-se de que um deles cometeu um assassinato. Será que tem razão?

Vertigo (1958)

O enredo surreal de Vertigo (A Mulher que Viveu Duas Vezes) vai deixá-lo a pensar em cenas que parecem saídas de sonhos. Esta obra-prima de Hitchcock explora temas como a obsessão e a dor provocada por amor não correspondido. No entanto, uma vez que estamos a falar do Mestre de Suspense, há muito mistério e drama à volta das personagens. A personagem principal, interpretada por Kim Novak, é constantemente controlada pela personalidade da sua falecida avó.

Psycho (1960)

O clássico dos clássicos. O enredo de Psycho começa com a personagem de Marion Crane, uma mulher no ponto do desespero que, ao receber 40 mil dólares que o seu patrão lhe pede para depositar no banco, decide cometer o crime de fugir levando consigo o dinheiro. Com o intuito de começar uma nova vida com o seu amante, Sam, a história dá uma volta inesperada ainda antes do meio do filme. Ao longo da sua fuga para a Califórnia, Marion decide passar uma noite num hotel gerido por Norman Bates, uma figura solitária que vive à sombra das ameaças da mãe. É aí que a personagem principal é assassinada na emblemática cena do chuveiro. Mas o mistério paira no ar: quem é o assassino? A revelação chocante só acontece nos últimos minutos de Psycho.

Os Pássaros (1963)

Este clássico inesquecível de Hitchcock mostra-nos o que aconteceria se a humanidade fosse, de repente, atacada por pássaros. Os ataques desencadeados por todo o tipo de espécies aviárias, numa pequena cidade à beira-mar, causam o terror entre as personagens: são atacados em festas de anos, enquanto trabalham os campos e até mesmo na escola. A cena dos pássaros, pousados no recreio da escola, é absolutamente arrepiante. O filme The Birds (Os Pássaros) envolveu a utilização de inúmeros efeitos especiais, assim como pássaros reais, treinados para a cena.

Hitchcock (2012)


Deixando a realização de Hitchcock de lado, recomendamos que veja o filme realizado por Sacha Gervasi que, muito cuidadosamente, procura retratar Alfred Hitchcock durante o período de produção e realização de Psycho. O realizador, interpretado neste filme por Anthony Hopkins, tem uma relação peculiar com a sua esposa e parceira Alma Reville durante as gravações do filme. Esta relação torna-se especialmente interessante de acompanhar uma vez que é marcada pela presença de outras mulheres, nomeadamente as atrizes que deram vida ao filme. Uma longa metragem que vale a pena ver para conhecer a vida do cineasta!

Bates Motel (2013 – 2017)


Adaptada para os dias atuais, a série Bates Motel funciona como uma espécie de prelúdio detalhado para o enredo de Psycho. Ao longo de quatro temporadas podemos acompanhar Norman Bates e como a sua mente se vai deteorando, marcando-se a pouco e pouco por surtos psicóticos. A isto acrescenta-se ainda a relação problemática com a mãe, Norma Bates, que acaba por ser uma peça chave no filme. A série, que terminará na quarta temporada, contará com a participação da cantora Rihanna a interpretar o papel de Marion Crane e a replicar a célebre cena do chuveiro.

 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *