Home / Cinema /

A curiosa odisseia de Stanley Kubrick pelo mundo do cinema

A curiosa odisseia de Stanley Kubrick pelo mundo do cinema

 

O famoso cineasta Stanley Kubrick nasceu em Nova York em 26 de Julho de 1928, e cresceu no Bronx com o seu pai, o médico Jacques Kubrick e a sua mãe, Sadie (Perveler) Kubrick. Desde criança que Kubrick nunca demonstrou grande entusiasmo ou talento pela escola. Na escola primária, era mais frequente faltar do que ir às aulas. Já durante o ensino secundário, era visto como um pária social e aceite como o típico protótipo do fracasso, ficando sempre entre os piores da sua turma. “Nunca aprendi nada na escola, e nunca li um livro por prazer, até que ter 19 anos”, disse uma vez.

Inicialmente, Kubrick pensou em tornar-se escritor ou jogador de basebol. Procurando esforços criativos em vez de se concentrar no seu estatuto académico, tocou bateria na banda de jazz da sua escola. O vocalista desse grupo, que mais tarde se tornou conhecido, é nada mais nada menos que Eydie Gorme. Kubrick também mostrou promessa inicial como fotógrafo para o jornal da escola e, aos 16 anos, começou a vender as suas fotografias para a revista Look.

Um ano depois, foi contratado para a equipa da revista. Quando não estava a viajar para procurar mais locais para fotografar, passava a maior parte das suas noites no Museu de Arte Moderna, em Nova Iorque. Perto do fim do seu percurso escolar, Stanley Kubrick candidatou-se a várias faculdades mas foi recusado por todas eles.

A aventura de Stanley Kubrick pelo mundo do cinema

Kubrick começou a explorar a arte do cinema na década de 1950. Os seus primeiros filmes eram curtas documentais financiadas por amigos e parentes. A sua primeiro longa metragem, que data a 1953, era o filme Medo, Drama e Desejo, e foi feita de forma independente por um estúdio,  uma prática bastante incomum para a época. Desde cedo na sua carreira cinematográfica que Kubrick começou a desempenhar cargos como diretor de fotografia, editor e técnico de som, além de realizar filmes. Mais tarde, iria também escrever argumentos e produzir filmes.

Kubrick fez 10 filmes entre 1957 e 1998, com os lançamentos iniciais, incluindo os aclamados filmes Spartacus (1960), Lolita (1962), baseado no romance de Vladimir Nabokov e ainda Dr. Strangelove. Negando a cooperação oficial das forças armadas norte-americanas durante as filmagens de Dr. Strangelove, Kubrick passou a construir conjuntos de fotografias e outras fontes públicas.

2001: Uma Odisseia no Espaço

 

Kubrick lançou o seu filme mais popular, 2001: Uma Odisseia no Espaço, em 1968, depois de trabalhar diligentemente na produção. Só o argumento do filme demorou alguns anos a ser concluído, em parceria com o escritor Arthur C. Clarke. Porém, a produção valeu a pena. O filme valeu a Stanley Kubrick 13 nomeações aos Óscares, valendo-lhe uma estatueta pelo seu trabalho de efeitos especiais.

Mesmo que 2001: Uma Odisseia no Espaço tenha registado um enorme sucesso, a sua primeira exibição pública foi um desastre absoluto. O filme estreou na mesma noite em que Lyndon Johnson anunciou que não iria tentar a reeleição; por coincidência, havia rumores de que o chefe do estúdio perderia o emprego se o filme não fosse um sucesso. Quando o público deixou o cinema, o departamento de publicidade do estúdio disse: “Senhores, esta noite perdemos dois presidentes.” Posteriormente, o filme recebeu uma ampla cobertura por parte dos media e tornou-se um sucesso enorme, ao ponto de ainda estar no cinema em 1972, após quatro anos desde a sua estreia.

A aclamação de Kubrick e a sua confirmação no panorama cinematográfico internacional chegaram com o filme Laranja Mecânica (1971).  O drama Barry Lyndon (1975), para o qual aprovou pessoalmente as peças de vestuário de cada figurante em cenas de batalha, tornou-se ainda mais conhecido por todo o mundo, tal como aconteceu com O Iluminado (1980).

Depois de se mudar para a Inglaterra no início da década de 1960, ganhou lentamente uma reputação como recluso. Começou a passar cada vez mais tempo no seu escritório em casa, recusando a maioria dos pedidos de entrevista e sendo raramente fotografado pelo público. Ao que consta, a sua vida dentro de quatro paredes mudou de tal forma os seus hábitos e comportamentos como começou a dormir durante o dia e a trabalhar durante a noite, mantendo-se assim no fuso horário norte-americano.

Stanley Kubrick morreu enquanto dormia, na sequência de um ataque cardíaco, na sua casa em Childwickbury Manor, Hertfordshire, Inglaterra, no dia 7 de março de 1999, horas depois de entregar uma cópia do que seria seu último filme, De Olhos Bem Fechados (1999), ao estúdio. O filme, que tinha como protagonista Nicole Kidman e Tom Cruise (que eram casados na época), ganhou grande aclamação comercial e por parte da crítica.

 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *