Home / Drama /

Silêncio: o novo filme de Martin Scorsese sobre jesuítas portugueses

silêncio

Silêncio: o novo filme de Martin Scorsese sobre jesuítas portugueses

Com estreia marcada para o dia 19 de janeiro, o novo filme de Martin Scorsese promete dar que falar e ser um dos protagonistas na noite dos Óscares. A película, que conta com o título Silêncio, narra uma história comovente sobre o encontro com a religião e a fé humana em Deus.

O enredo baseia-se no livro homónimo do autor japonês Shusaku Endô, publicado pela primeira vez em 1966. Ao longo da história acompanhamos a história de dois padres jesuítas que viajam de Portugal até ao Japão, no século XVII, na esperança de encontrar o seu mentor, o Frei Cristóvão Ferreira – interpretado por Liam Neeson -, e de investigarem rumores de que teria renegado a fé cristã.

Estes dois discípulos são interpretados por nada menos que Andrew Garfield, que vimos recentemente no filme O Herói de Hacksaw Ridge – realizado por Mel Gibson e também um candidato digno para os Óscares – e Adam Driver, que assumiu recentemente o papel do vilão Kylo Ren na nova trilogia de filmes Star Wars.

Retomando a história, o enredo relata como os dois frades chegam a um Japão que cai sobre eles como uma onda do mar: é aí que se confrontam com um regime militar que baniu totalmente o catolicismo e quase todo o contacto com o estrangeiro.

Sem perderem a crença, os dois jovens religiosos testemunham a perseguição aos cristãos japoneses pela mão do seu próprio governo. Eventualmente, os dois separam-se e Frei Rodrigues viaja até ao campo, interrogando-se sobre o silêncio de Deus face ao sofrimento dos seus filhos.

Para já, as críticas ao filme têm sido relativamente favoráveis. Ainda que alguns especialistas consideram que o novo filme de Scorsese não vale todo o buzz em seu redor, nomes como Peter Debruge, definem Silêncio como “um filme exigente que não apenas aguentará múltiplas revisões como praticamente as exige”.

As primeiras críticas invocam os mestres da austeridade religiosa no cinema, como é o caso de Carl Th. Dreyer e Robert Bresson, e apontam que Silêncio, mesmo não sendo a obra-prima que vai definir a carreira de Martin Scorsese, será de certo a prova dos muitos talentos do cineasta que já realizou clássicos como Taxi Driver e Goodfellas. Alguns críticos chegam mesmo a apontar que esta longa metragem poderá ser já um “testamento” cinematográfico do realizador.

Com filmagens no Taiwan ao longo de oito meses, gravadas pela ordem cronológica do guião, o filme já chegou às salas norte-americanos no final de dezembro de 2016, já foi inclusive exibido ao Papa Francisco no Vaticano e chega a Portugal no dia 19 de janeiro. Embora, para já, o filme tenha ficado de fora das nomeações para os Globos de Ouro, Silêncio está a ser posicionado pela Paramount, que assumiu a distribuição americana, como um filme de prestígio à medida dos Óscares.

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *