Home / Ficção científica /

As estrelas que levaram George Lucas ao sucesso internacional

As estrelas que levaram George Lucas ao sucesso internacional

 

O famoso realizador, escritor e produtor George Lucas nasceu no dia 14 de Maio de 1944, em Modesto, Califórnia. Os seus pais, que lhe deram o nome de George Walton Lucas Jr., tinham uma loja que vendia material de escritório e eram ainda proprietários de uma quinta. É neste lugar pacato, nos subúrbios de Modesto, que o jovem George Lucas se começa a interessar por automóveis e automobilismo.

Também por esta altura começou a ficar obcecado com o mundo do cinema, especialmente com tudo o que envolvia utilizar uma câmara de filmar. Desistindo de uma carreira de automobilismo – depois de sofrer um acidente no seu Fiat – acaba por enveredar para a faculdade, onde estuda fotografia e cinema.

É durante a sua passagem pela Universidade do Sul da Califórnia que produz a curta-metragem de ficção científica futurista intitulada Electronic Labyrinth: THX 1138 4EB e que ganha um lugar confortável sob a asa de Francis Ford Coppola, que sempre se manteve atento a novos talentos do mundo do cinema. Fascinado com o trabalho alcançado por Lucas, Coppola convenceu a Warner Brothers a fazer uma versão de longa-metragem do filme. Ainda assim, o filme THX 1138 (que recebeu um novo título) provou ser um terrível fracasso na sua versão de 1971.

Ainda que intimidado com o fracasso do seu primeiro filme, George Lucas começou a trabalhar no seu projeto seguinte, American Graffiti. Lançado em 1973, o filme mostra-nos um grupo de jovens talentosos, interpretados por Ron Howard, Richard Dreyfuss e Harrison Ford, e que retrata a apatia da juventude americana. O filme, realizado com apenas 780.000 dólares, arrecadou um lucro superior a 100 milhões de dólares. Além disso, recebeu cinco nomeações aos Óscares,  incluindo nas categorias de Melhor Filme, Melhor Argumento e Melhor Realizador.

O dia em que George Lucas olhou para as estrelas… e viu guerras

De novo confiante, George Lucas começa então a trabalhar na longa-metragem intitulada Star Wars. Lançada em maio de 1977, esta grande produção de ficção científica surpreendeu a audiência com os seus efeitos especiais, paisagens fantásticas, assim como a inovação de algumas das suas personagens, que eram apenas meros robots mas ainda assim super realistas.

O sucesso foi tal que George Lucas rapidamente delineou toda uma história para o Universo Stars Wars, apresentando ao público, três anos mais tarde, a sequela que continuava a história dos Jedi e do Lado Negro da Força, com o filme O Império Contra-Ataca (1980). Segue-se um último filme que encerra a trilogia original, O Regresso do Jedi, que chega ao cinema em 1983.

Entretanto, enquanto lidava com todo o sucesso, George Lucas fundou uma empresa de efeitos especiais, a Industrial Light & Magic (ILM), assim como um estúdio de som, o Skywalker Sound.

Han Solo é agora Indiana Jones

 

Lado a lado  com o seu trabalho em Star Wars, Lucas desenvolve uma nova série de aventuras sobre um arqueólogo aventureiro chamado Indiana Jones. A interpretação da personagem principal ficou a cargo de Harrison Ford, com quem já tinha trabalhado em Star Wars e American Graffiti, que dá assim vida à famosa personagem no filme Os Salteadores da Arca Perdida (1981). Em vez de uma guerra galáctica, George Lucas mostra-nos agora um herói que luta contra nazis para encontrar a Arca da Aliança.

George Lucas ajudou a criar as histórias e trabalhou como produtor nas primeiras sequelas que se seguiram. Harrison Ford protagonizou o filme ao lado de Kate Capshaw (futura esposa de Steven Spielberg) em Indiana Jones e o Templo da Perdição (1984), e em Indiana Jones e a Última Cruzada (1989). Após o terceiro filme de Indiana Jones, George Lucas sente-se então preparado para voltar à saga de filmes que o tornou mundialmente famoso.

Finalmente, no inicio da década de 90, a tecnologia começa a atingir um ponto crucial para a indústria cinematográfica.  George Lucas tinha, na verdade, visto em Jurassic Park (1993) o que os efeitos especiais podiam agora fazer. Convencido de que podia acrescentar algo de melhor ao universo de Star Wars, George Lucas lança-se na produção de prequelas.

George Lucas: O Regresso das Estrelas

Nestes novos filmes que antecipam a trilogia original, é contada a história de Darth Vader, quando era ainda um jovem rapaz inocente, dotado com a Força. O primeiro filme da série, Star Wars: A Ameaça Fantasma, foi lançado na primavera de 1999 e recebeu múltiplas críticas por parte da imprensa. Enquanto alguns acreditavam que os efeitos especiais eram de facto soberbos, outros criticavam a ausência de profundidade dramática na história.

Segue-se O Ataque dos Clones, que estreou a 12 de maio de 2002, no Festival de Cinema Tribeca e, por fim, o terceiro e último episódio, A Vingança dos Sith, que chega aos cinemas em maio de 2005.

Em 2008, George Lucas voltou a produzir e a trabalhar no argumento de mais um filme de Indiana Jones. O filme foi um dos maiores sucessos do verão. Lucas trabalhou ainda como produtor de um tipo diferente de filmes de ação no início de 2012, ajudando a criar uma história sobre pilotos afro-americanos famosos conhecidos como o Tuskegee Airmen.

Não muito depois, George Lucas anunciou que se ia afastar dos grandes blockbusters para explorar histórias mais pequenas e pessoais. Para cumprir esse mesmo propósito, decidiu vender a sua empresa, a Lucasfilm, à Walt Disney Company em outubro de 2012. Isto significava que a Disney tinha agora os direitos sobre a saga Star Wars. Em 2015, para grande antecipação dos fãs, fez chegar ao cinema um novo filme de Star Wars: O Despertar da Força.

 

Partilhar este artigo

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *